Educar as crianças é construir o futuro [#145]

- Você arranjou um plug novo, Jão?
- Claro. Já tentou trabalhar sem o plug? É um inferno.
- É como faziam há quatrocentos anos.
- Tá louco. Trabalhar quinze horas por dia sem distração nenhuma devia ser um porre.
- O índice de acidentes de trabalho era bem menor.
- O índice de suicídios também. Vi num documentário esses dias. Tá vendo? É bom a gente se manter informado.
- Tá. Realmente devia ser um porre. E as crianças eram subaproveitadas. Toda essa mão de obra estacionada naquelas escolas físicas, coisa horrível.
- Poisé. Sabia que foi só em 2.237 que a Lei Rowald foi aprovada?
- Não foi em 2.210?
- Todo mundo acha isso. Mas na verdade em 2.210 Rowald conseguiu autorização governamental pra fazer testes em crianças numa escola-modelo, um laboratório gigantesco na Polônia, onde cinco gerações foram alfabetizadas num esquema parecido com o nosso, mas mais primitivo. Eles não tinham experiência sensorial completa, só visual e auditiva. Mesmo assim Rowald provou o que queria. E de quebra as crianças construíram o primeiro dos Laboratórios Educativos. Então, com os resultados na mão, o congresso aprovou a lei em 2.237.
- Entendi. O que será que eles assistiam?
- Aulas bem parecidas com os nossos documentários. Mas a tecnologia ainda era incipiente. O áudio era transmitido via fones auriculares e o vídeo ocupava um dos olhos, deixando o outro livre pros trabalhos manuais. Não era essa coisa integrada e fluida que a gente conhece hoje.
- Um pesadelo, Jão. Tá louco. Sem o jogo não ia rolar. Já te disse, a única coisa que faz trabalhar de pedreiro valer a pena são as classes novas no Numenéra. Com 2 mil horas acumuladas você libera uma classe de prestígio dos magos, o arconte. É uma apelação só. Mês passado eu fiquei meio detonado com as horas extras, queria mais pontos de experiência, acabei com a coluna. O médico mandou fazer uma espinha nova e agora tô zero.
- Nem me fala. Ano passado troquei os tendões dos braços. De vez em quando tem que fazer um check-up.
- Imagina só quando a gente chegar na quinta série, cara! No ginásio você pode começar a trabalhar pra inciativa privada, aí sim o negócio esquenta. Tem um pacote de expansão que foi construído fora do servidor governamental. Dizem que não tem comparação. E é tão integrado que os documentários no fundo são absorvidos direto pelo subconsciente, não atrapalham em nada a jogabilidade.
- É como cê diz, Beto. O negócio é trabalhar. Você constrói essas cidades lindas pra quando for mais velho, e ainda joga o tempo todo.
- Depois que aposentar descansa, pô. Agora tem que dar o sangue.
- Verdade. Aí, oito horas já. Vamos bater o ponto. Vai estudar o quê hoje?
- Geofísica quântica. E você?
- História do Séc. XX. Te falar, ô épocazinha chata.
- Relaxa. Concentra no jogo que passa.