Do abrigo antigo da água

Ouviu isso, Januário?

Pararam. O vento ciscando nas folhas. Um pio ou outro. As solas das botas pranchando a terra, os ramos. As respirações atravessadas.

Ouvi nada não, Ed.

Parecia um grito. Mas longe. Será que um dos índios se machucou, topou com cobra?

Sei não. Continua. A gente tem que chegar no rio.

Não havia trilha. Havia um caminho de mato alto por entre as árvores, ...

 

Dos riscos da super aposentadoria

  • 9 de março de 2018
  • Categoria: Fantasia
ASTRO VOLTOU — alardeiam as telas em gritos ou legendas enormes, coroadas pela imagem esfumaçada de algo se aproximando pelo ar e então disparando pra cima feito um míssil, mergulhando nas nuvens que espiralam em seu rastro. Nem um segundo. Mas em câmera lenta, frame por frame, é possível ver com facilidade os contornos da figura humana, o colante preto, os braços unidos apontando pra cim...

 

Da melodia afiada da fala

A água cai de lado, martelando o asfalto conforme as golfadas do vento. Noites chuvosas são as piores porque me fazem lembrar da primeira noite, quando Marla ainda estava viva, quando o que eu pensava ainda me pertencia, quando abraçar sua cintura ou tirar seus cabelos da frente dos olhos eram ações que eu tomava por iniciativa e gosto, não por outra coisa.

A chuva lava o carro e os vidro...

 

« Carregar mais posts