Exploração intrassubstancial

Eu entrei na profissão há dois anos. De lá pra cá já desenterrei a caveira (metafórica) de muita gente, testemunhei infartos fulminantes, AVCs, calafrios, chororô do mais esclerosado ao mais econômico, de largar lagriminha na dobra do dedo e engolir pigarro. Dá pra entender, claro. Fiz isso com o relógio do meu pai quando morreu e vi que há quinze anos ele pagava pensão de um irmão qu...

 

Da culpa num assassinato não premeditado

Imprevisivelmente, Josaldo matara um homem. Agora aguardava, no escritório do delegado, pelo próprio delegado, que via através das persianas abertas e do vidro das janelas, equilibrando nas mãos uma xícarazinha de café. Esquivou de uns tantos policiais, encolhendo a barriga o máximo que conseguia, o que não era muito, para serpentar pela delegacia sem derrubar pilhas de papéis, telas de c...

 

Poltrona

  • 18 de junho de 2015
  • Categoria: Comédia
Peidaram. Peidaram em mim hoje.

O que me deixa indignada não é nem o peido. Pô, o negócio vem, não tem muito o que fazer. Sai assobiando, derrapando, respingando, não importa. O que me tira do sério é a pessoa não levantar a bunda. Porra. Peidou, ergue a busanfa pra circular o escorraço que saiu de dentro de você, não fica guardando que nem galinha guarda ovo, liberta pro mundo, rem...

 

« Carregar mais posts