Se você me desse de colher eu comia até bosta

Sua cadela arrombada
Sua vagabunda estúpida
Sua filha duma puta cancruda

Meu amor,

Não acho jeito de começar, sempre tive problema com começo, mas depois que a primeira frase vai o resto segue igual formiga. Igual fogo, que lambe como se fosse pregar selo pra mandar coisa pesada pra China. Tentei abrir a porta com pé, mão, cadeira. Mas não tá só trancada, tá barrada, e pro meu azar não igual o Rio Doce. Fogo lambe o cabelo, apago com a mão, mergulho na poltrona que resiste intacta, bastião do repouso no meio da sala enfumaçada.

Você podia usar veneno
Você podia me empurrar da sacada
Você podia moer vidro e meter na lasanha

Eu tô com saudade,

Quando vi que pela janela não tinha jeito e que o único consolo da porta era o som dos pés dos apartamentos de cima correndo pra salvação, peguei os teus CDs da Bethânia e do Gil e joguei na pia, que ardia como a gente quando veio pra cá direto do Clube de Esquina, lembra, não liguei o ar nem o ventilador e a gente encharcou o colchão e dormiu no chão e tomamos no cu no dia seguinte, lembra, só acordamos depois do almoço. Ardem com teus livros, tua escova, o que tinha de teu ao alcance. A geladeira estala, o teto estala, rastejo no chão onde não tem fumaça, vi no Discovery, tateando até o armário da cozinha, abro o saco de cookies, você sempre negando e forçando essa vida fit e eu comprando e comendo de madrugada, escondido, enfio na boca um monte, quebro nos dentes e estufo a reentrância das bochechas que se for pra morrer vou morrer comendo isso e não couve crua e cenoura e frango e batata doce.

Volto do inferno pra te atazanar
Puxo teu pé à noite pra você não pregar o olho
Te mochilo de encosto pra você não sair da cama

Te perdoo e ainda te amo.

Eu sabia que você não batia bem mas não achava que era pra tanto e devia ter desistido quando cheguei em casa aquele dia e você tava vendo um filme em que o serial killer desmembrava um guri e perguntou se eu gostava mais do meu braço ou da minha perna, eu devia ter desistido quando você parou o carro na ponte do Coxipó e ficou olhando pro rio e perguntou quanto tempo eu conseguia segurar o fôlego, eu devia ter desistido quando você rolou na cama e você sempre rola na cama e revira tudo e eu senti um negócio frio na nuca e levantei e vi que você dormiu com um facão embaixo do travesseiro e quando te acordei você disse que era pra matar mosquito, eu devia ter desistido quando a gente viu a matéria da mulher que cortou o pau do cara da Yoki e você ficou rindo sem parar e eu me cagando de medo no canto do sofá mas nunca desisti e puta que pariu é tanto cookie que não consigo fechar a boca e farelo prega na garganta e a pia tá longe e ardendo com Gil e Bethânia e sem água tusso e tudo trava farinha de cookie saindo pelo nariz pela orelha pelo olho sei lá acho que no fim é provável que eu goste de sofrer e até churrasquinho não desisto arde pra caralho essa porra que merd

FDP
TNC
VSF

<3