A cidade e a memória

Após atravessar bosques, trilhas e uma série incansável de morros pode-se ver Balaia afundada no vale feito uma bola de chumbo jogada sobre a cama. O lençol engruvinhado jorrando do centro em raias numerosas representa os milharais que se alongam até o sopé das montanhas distantes. Atravessando-os o viajante sente a vontade irresistível de colher as socas mais gordas e encher a mala.

Bal...

 

Invisinha [#129]

Tudo começou com uma porcaria de aposta.

O Zé me deu uma bala, parecia bolinha de gude. Lambi, gosto de amora. Falou que se eu comesse me dava 200 contos. Mastiguei, azedinha, engoli. E ele nunca me pagou. Sumiu.

No outro dia acordei e tomei um susto. Nada pra baixo da camisola. Nem pé nem perna. Mas o volume das coxas continuava ali. Tateei e senti a pele, os ossos, as unhas, tudo em ord...

 

Heisenberg [#120]

Muita porcaria na mesa. Salgadinho, cigarro, chiclete, bala, isqueiro. Chapéu preto, redondo, copa reta. Coisa dos anos 20, gângsters que saíam bem na foto.

No espelho a testa vincada. As papadas. As sobrancelhas teimosas. As manchas na pele. Os olhos fundos de quem já viu demais, a carapaça quitinosa cobrindo as íris e translucidando o mundo além do para-brisa do motorista encaixado atr...

 

« Carregar mais postsPosts mais recentes »