Das excursões da memória

A van estaciona na frente do camelô, em uma vaga apertada que faz raspar as calotas nas tartarugas. O guia desce, abre a porta, o grupo vai saindo aos poucos. Alguns usam chapéu de aba larga, vários usam óculos de sol, uma senhora abre o protetor solar e passa nos braços. Ele anda até o semáforo e aguarda o verde da faixa de pedestres. Atravessam. No elevado da Prainha que é a espinha da a...

 

Dos nomes que damos aos filhos

Doriana odiava seu nome porque era nome de manteiga. Ficava pensando se na época que nasceu já existia a manteiga e se a mãe tirou dali, ou de um filme, ou de um livro, ou de uma amiga ou tia distante, mas nunca perguntou, que fazia parte do mistério de como ela tinha surgido e de como tinha surgido aquilo, o nome, que definia quem você seria e como reagiria a certas coisas. Todo mundo na esc...

 

Vontade é coisa mambembe

Sempre que passava um circo pela cidade lá tava o seu Valdivo pendurado na grade, a silhueta da roupa dele recortada pelas luzes coloridas, as costas bem retas, a cabeça de um lado pro outro, seu fiel hipopótamo parado do lado, olhando pra dentro também. Os dois largavam a carroça empinada no chão e respiravam aquilo, mergulhavam os olhos naquela atividade barulhenta e viva do circo, de long...

 

« Carregar mais postsPosts mais recentes »